quinta-feira, 8 de julho de 2010

Almoçando com o Inimigo – 25/09/2009 – 14h40

Paguei para almoçar com agricultores e pecuaristas do estado campeão de desmatamento em nosso país: o Mato Groso, arqui-inimigo do meio ambiente, um dos maiores produtores de soja do mundo, incensado pelo entusiasmo da imprensa especializada.


Para produzir soja, criar gado, plantar cana de açúcar, milho e outras monoculturas, a agro-indústria, incentivada pela omissão dos órgãos que deveriam fiscalizar o meio ambiente, como IBAMA, IEF, ICMBio, queima e destrói enormes extensões de cerrados, caatinga e florestas tropicais, sem nenhuma preocupação com o futuro de nosso povo.

É curiosa a mentalidade desses “empresários”: Eles desmatam, plantam soja, criam gado e se enriquecem até a terra não produzir mais nada, esgotada que foi pela exploração intensiva e predatória! Depois não querem “pagar a conta”! Não aceitam investir o “seu” dinheiro para recuperar a terra devastada! Simplesmente jogam a conta nas costas do governo e da sociedade que os enriqueceu, e partem para derrubar mais florestas! Disseram-me isso no maior descaramento e naturalidade!

E ainda me perguntaram, ironicamente: “quem paga a conta? A terra já não presta para nada! Nós produzimos alimento para o povo brasileiro e agora precisamos de mais terras para plantio! É necessário ampliar continuamente as fronteiras agrícolas desse país, enquanto a população não parar de crescer!” É muita arrogância ou imbecilidade!

E mais! Dizem na “cara dura” que o estado de Mato Grosso é o que mais respeita a legislação ambiental! É claro que sim! Deixam 20% da parte mais pobre da terra que possuem, a maioria dela grilada em anos passados, sem desmatar... Desmatar o que?

A ironia desses magnatas do agro-negócio é exasperante! Enriquecem empobrecendo a terra! Pouco se importam com o destino de nosso mundo... acreditam – e tem razão – que a terra usurpada da Natureza garantirá a seus filhos a continuidade da luxúria! Sim, é verdade: os ricos herdarão a Terra, enquanto bilhões viverão na miséria, passarão fome e sede e perecerão à mingua!

E quando vier a catástrofe inevitável, a hecatombe ambiental, poucos sobreviverão... quem? Os ricos! Justamente quem provocou a tragédia e viveu como um nababo1! Revoltante? Claro que não! Se fosse assim, todos que me lêem e que tem consciência disso estariam se mobilizando em defesa de seus herdeiros, filhos e netos...

Estou certo de que a maioria das pessoas pensa e sonha em fazer parte dessa minoria, enriquecer e garantir o seu futuro, em detrimento da Humanidade... Infelizmente, os seres humanos ainda são muito egoístas, pensam apenas em si mesmos, e esse comportamento elimina a possibilidade de vitória do bem sobre o mal e garante a continuidade de nossa sociedade de consumo irrestrito e irresponsável!

É uma pena... esse final não será belo, nem mesmo para os que sobreviverem. Pouco restará do que existe para ser apreciado e o mundo herdado será um gigantesco deserto, com poucos oásis onde se agruparão os “eleitos”... haverá uma vaga lembrança de nosso magnífico mundo em zoológicos e pequenas reservas naturais...

Desejo, sinceramente, que todos os omissos também façam parte desses “privilegiados” que herdarão a Terra... árida!... seca!... sem vida... sem o canto dos pássaros... quase sem água... fétida, miserável e povoada por bandidos e saqueadores! Nem todo ouro, nem toda riqueza que restar servirá para mitigar a fome, a sede e o ódio que reinarão nesse ambiente onde a decadência será inevitável!

Façam bom proveito da areia, do sol causticante, do mar sem vida e das mansões abandonadas! Vivam pelos desertos que semearam, atacando e fugindo da horda de inimigos que vocês mesmos criaram, e serão tantos, capazes de matar até por um copo d' água... nós, ambientalistas, seremos dizimados na primeira hora, vozes inconvenientes do verdadeiro holocausto que ainda está por vir. Não importa... se for assim, teremos perdido a guerra e nada do que tenhamos dito fará mais nenhum sentido...

O mais incrível é que se a humanidade conseguir evitar a tragédia e despertar a tempo, ainda assim quem vencerá serão os mesmos ricos que hoje devastam a Natureza! E de algozes assimilarão o discurso da “sustentabilidade”... e cinicamente apregoarão tudo aquilo que hoje abominam. E, novamente, seremos nós, os ambientalistas, os culpados, responsáveis por apregoar o fim do mundo, vozes anacrônicas, Nostradamus contemporâneos... e a nós será reservado o lixo da história, o ostracismo e o desprezo.

Mesmo assim, perseveraremos até o fim, em nome de nossos descendentes e de nossos ideais...

¹ Nababo – antigo governante árabe; hoje, a palavra é usada para designar uma pessoa muito rica e ostentadora

Nenhum comentário: