quinta-feira, 8 de julho de 2010

Depoimentos dos Pescadores

Divisa de Dores de Indaiá e Bom Despacho – 19/06/2009 – 13h46


Pedro (policial militar)

Cada dia que passa o rio sofre mais com a degradação provocada pelo homem. Hoje, em conseqüência disso, o rio está se acabando! O triste é saber que daqui a alguns anos nossos filhos e netos não terão mais esse prazer de conviver com o rio e usufruir de suas belezas, se alimentar de seus peixes...”

Evandro (comerciante)

O homem destrói o rio através dos produtos químicos jogados nele. Hoje o rio não tem sustentabilidade para suportar tantos pescadores, e qualquer um consegue uma carteira de pescador profissional. Apesar disso, no rio ainda podemos desfrutar de muitos peixes, que logo vão se acabar...”

Jésus (construtor de barcos)

O rio não suporta tantos pescadores, que deixam suas redes armadas durante vários dias, sem retirar os peixes que se enroscaram nelas. Menos de 20% dos pescadores 'profissionais' vivem apenas da pesca. A maioria é só diversão. Enquanto isso, só para falar na região de Lagoa da Prata, Bom Despacho, Moema, Martinho Campos e Dores de Indaiá, todas essas cidades jogam seus esgotos no rio, sem qualquer tratamento. Mas nas contas de água, 50% do valor é cobrado pelo tratamento do esgoto, que não existe. E os pescadores amadores é que são penalizados com multa e apreensão de seus pescados. O rio ainda tem muita vida, muitos peixes, aves e outros animais; e se for bem cuidado, ainda poderá nos trazer alegria e sustento por muitos anos.”

Um comentário:

Rodrigo Antonio de Oliveira disse...

Só uma ressalva ao comentário de Jésus. Dores do Indaiá joga o esgoto no rio sim, mas há uma estação de tratamento em pleno funcionamento na cidade. Talvez por falta de conhecimento, pois é uma das poucas da região, ele tenha igualado a cidade de Bom Despacho que é muito mais desenvolvida que Dores do Indaiá em alguns quesitos mas perde quando se fala em preservação do Meio Ambiente.