quinta-feira, 8 de julho de 2010

TRAVESSIA DE SOBRADINHO

Saindo de Pilão Arcado

Já pelo início da tarde eu quase desistia de conseguir transporte e pensava em voltar para o rio no dia seguinte; dormiria em uma pousada, voltaria para Passagem e enfrentaria esse desafio. Mas apareceu uma enorme carreta que descarregara sacos de cimento e aceitou me levar até Petrolina, passando por Remanso. Pensei que, chegando a Remanso, poderia encontrar outro transporte pelo lago, mas o motorista, preocupado, me demoveu dessa idéia.

lago era mesmo assustador para todos que por lá circulavam! Cada vez mais a idéia de percorrer o lago se tornava uma obsessão em minha cabeça. A carreta seguia devagar... um outro passageiro foi aceito de graça, seguido de duas moças... eu já me sentia enganado por ter pago R$150,00 pelo transporte! Só eu pagava; os outros iam de graça! Mas tive calma e relaxei.

A viagem transcorria sem problemas. Paramos em um posto onde tomamos banho e almoçamos. Em Remanso ficaram os outros passageiros e seguimos eu e o motorista, conversando e apreciando uma outra face das caatingas, verdejantes, viçosas! O que provocava essa mudança? Constatei depois que a construção dessa represa causou outros impactos curiosos na Natureza.




Esse era um deles: a pressão de tamanho volume de águas sobre o fundo do lago causou infiltrações no lençol freático e essa água surgia por toda parte, criando um sistema de irrigação raro e permanente. Com isso, a caatinga daqui não seria mais a mesma!

Passamos por Casa Nova já ao anoitecer e não deu para ter uma idéia da cidade. Eu já estava cansado de andar na boléia do caminhão e não conseguia manter uma conversa interessante com o motorista... era muito tempo viajando! E não era de barco!

Nenhum comentário: